Clara Penincela

Plim, Plim. Farinha de perlimpimpim!

Há dois tipos de fadas: as que realizam sonhos e as que resolvem problemas.

A fada Clara é um mix dos dois e mistura em si a fórmula perfeita de pragmatismo, serenidade e atrevimento para desafiar o impossível com visão estratégica.

A menina de voz doce e olhar apaziguador, acredita que os bons sonhos têm que parecer impossíveis e que a sua mais poderosa varinha de condão é a criatividade.

“Para mim não faz sentido que se morra à fome quando muitos alimentos são desperdiçados e subaproveitados”, afirma Clara.

Por isso teve a ideia de criar uma farinha mágica com alto valor nutricional.

Clara tirou o curso Ciência e Tecnologia de Alimentos e quer criar uma empresa de processamento de farinhas nutritivas e prestar assistência técnica em sistemas de gestão de qualidade (HACCP, BPH e BPM) às pequenas e médias empresas que se dedicam à produção de alimentos nutritivos, estas que vem crescendo exponencialmente em Moçambique.

“Poder contribuir para o decréscimo dos índices de desnutrição no meu país significa dar a oportunidade a muitas crianças de poder crescer e sonhar. As crianças são as maiores vítimas de desnutrição, o que compromete severamente o seu desenvolvimento físico e cognitivo”, esclarece Clara.

A experiência de Clara na Girl Move foi um processo de desconstrução pessoal mas que serviu para ganhar mais confiança e motivação. “Fez-me acreditar que posso sonhar e realizar efetivamente os meus sonhos”. “Durante o meu estágio na NESTLÉ senti como se
estivesse fora da caixa e pude olhar para o meu país e perceber que ainda temos um longo caminho pela frente. Por outro lado, fortaleci a minha vontade de voltar para Moçambique e fazer parte da sua construção. Estou mais motivada e sinto que com a rede de contatos que criei em Portugal, vai ser fácil criar pontes estratégicas que facilitem o desenvolvimento de alguns projetos.”

A Clara vai desenvolver projetos que tenham impacto positivo sobre a economia local e a condição nutricional das pessoas, aproveitando produtos locais para produzir alimentos com um valor nutricional mais elevado.

Plim, Plim! Esta é a história da inventora da farinha Perlimpimpim.